Biografia

A Rhestus já possui uma pequena história, iniciada em Março de 1993, na cidade de Rio do Sul em Santa Catarina/Brasil, com Jailson (Bateria), Juarez (Guitarra), Cláudio (Baixo), Rogério (Guitarra, atual baixista do Flesh Grinder) e Avanei (vocal). Formada a partir da junção de ex-integrantes de outras duas bandas, uma de Metal, “Deleator” e outra de Punk-Rock, “Anonimato”, cuja proposta inicial dos remanescentes era só tocar por diversão.

Seu nascimento se deu de forma inusitada, pois na época a banda Orquídea Negra (SC) iria tocar na cidade de Rio do Sul e o organizador entrou em contato com Jailson (ex-Deleator) e convidou-o para que sua banda abrisse o evento. Porém, não existia mais o Deleator e Jailson contatou os supostos integrantes da nova banda duas semanas antes do evento. A banda não possuía nome, não existia oficialmente, enfim, seus integrantes só haviam conversado em brincar para não ficarem parados. Mas ensaiaram a duas semanas do evento com várias músicas de bandas punk rock e hardcore e algumas composições sem pé ou cabeça. Com uma proposta despojada, conquistaram o público.

Dali em diante as coisas começaram acontecer de forma gradativa, pois gostaram da brincadeira. Os ensaios se tornaram frequentes com a banda participando de outros eventos na cidade e região, até abrindo para shows nacionais como Titãs, Hanói Hanói entre outros. Mas como em qualquer banda que se preze, iniciaram as mudanças de formação e consequentemente a definição de uma identidade musical e ideológica. Isso aconteceu também ao gosto musical pelo Heavy Metal e ao nível de compromisso e profissionalismo que se exigia aos poucos O primeiro a sair foi o Rogério, onde Juarez assume as guitarras.

A banda inicia o processo de composições de músicas próprias sendo elas mais pesadas que o punk e hardcore, adotando uma postura mais thrashcore. Após algum período, saí Avanei, onde Juarez também assume o vocal. Em trio tocam em outros eventos e festivais, destacando a participação da banda no conhecido e extinto festival Catarinense, o “Mountain Rock”, além também de outras apresentações pelo estado. Na véspera da gravação da 1ª demo “Had a World”, Avanei retorna a banda como guitarrista e Cláudio deixa a banda. Então para promover a divulgação da mesma convidam Valda, (na época integrante da banda Escória, punk rock de Timbó/SC) para quebrar um galho, enquanto não encontrassem outro baixista. Valda por sua vez, após alguns meses, entrou definitivo na banda, pois a Escória havia encerrado suas atividades. Nesse período, realizam shows pelo estado e uma apresentação em Tupã, interior do estado de São Paulo, em 1996.

No ano de 1997, após divergências internas, Avanei é afastado do grupo e a banda decide por continuar suas atividades mesmo com os problemas ocorridos. Em 1998 entram Alex (Fantasma) assumindo o posto de Vocal e Guitarra base e Emerson no lugar de Juarez (que também deixou a banda na sequência) na guitarra solo. A banda estabilizada se dedica a novas composições, shows, participando de grandes eventos Open Air pelo estado, e também do evento Sul-Americano, o “Merco-Rock” em Blumenau ao lado de bandas do Brasil e Argentina, dentre elas os paulistanos do Korzus.

No ano de 1999, gravam sua segunda demo “Heroes Of The Doomsday”, que lhes rendeu a participação em duas coletâneas (Rock Soldiers IV e The Winds of New Millenium III) além do aumento do número de shows e reconhecimento no underground do estado e no país.

A partir de 2000 com nova mudança de formação (sai Emerson e entra Célio Junior como guitarrista solo) e da sede e local de ensaio (da cidade de Rio do Sul para Timbó/SC), participam da coletânea da Lituânia chamada “Atlântida Vol.12” além de realizarem alguns shows pelo estado e região sul do país, tocando em cidades do Paraná e Rio Grande do Sul. Nesses eventos tocam ao lado de bandas como Krisiun, Thuata de Danann, Steel Warrior, Flesh Grinder, Leviaethan, Drowned, etc.

No ano de 2001, a banda passa por sérios problemas internos e particulares, onde ocasionam a saída de Jailson por dois meses, obrigando a convocar no posto para quebrar galho o baterista Marcão (ex-Rythual, ex-Jailor), onde contribuiu em quatro apresentações. No final do mesmo ano, após seleção insatisfatória de outros bateristas, Jailson retorna ao posto e gravam uma pré-produção do que seria o 1º álbum.

Em 2002 a banda inicia a produção do álbum, no dia 09 de Março, concretizando em 2003. O título da obra: “Embryo Of The Endless Sands”, de produção própria, gira em torno dos 10 anos de banda, calcada principalmente no thrash metal.
A gravação, mixagem e masterização foram realizadas no estúdio “AML” em Florianópolis/SC, ao cargo de Alexei e Andrei Miri Leão. Para o álbum foram criadas cinco novas músicas e a adaptação e seleção de músicas das duas demos-tapes. Selecionam também para a arte, o renomado artista alemão Michael Schindler, o qual realizou trabalhos para bandas como Master, Motörhead, Graveworm, Steel Warrior e outras.

No mesmo ano após as gravações, mixagem e masterização decidem por lançar o debut de forma independente, devido ao desinteresse das gravadoras especializadas. Após muita demora e desgaste físico e mental, o álbum é lançado em novembro de 2003, no Festival Open Air: Tschumistock, na sua cidade de origem, Rio do Sul/SC, com boa receptividade dos presentes.

Ao final do mesmo ano, nova mudança de formação, sai Célio Junior. A banda, porém decide em divulgar a vaga, mas não tem muito sucesso e decide em meados de Fevereiro de 2004 continuarmos os trabalhos em trio divulgando o álbum, compondo também novas músicas e encarando os shows que fossem surgindo.
Após um único show em trio, em junho de 2004, Charles Da Silva após alguns testes assume a vaga de guitarrista solo.

Com a nova formação a banda inicia os ensaios para adaptação de Charles e parte para alguns shows na região também em 2005.

Durante o ano de 2006 a banda se reclusa para compor e ensaiar o novo álbum,  sendo que somente participa de um evento tocando ao vivo naquele ano.

Em Março de 2007 iniciam os processos de gravação do novo álbum, finalizando as mesmas em Maio de 2008. As sessões foram feitas gradativamente devido à disponibilidade do estúdio e a distância percorrida por parte de alguns integrantes  para compor o processo.

As gravações foram realizadas em Blumenau (SC), no RVB Estúdios, a cargo de Deny Bonfante (Perpetual Dreams).

Para a mixagem e masterização, a banda após algumas escolhas decidiu por fazê-lo no Estúdio AML, de Florianópolis a cargo novamente de Alexei Miri Leão. Nos meses de agosto e novembro de 2008 Xei percorre a Europa com sua banda Stormental e aproveita para trabalhar na mixagem do álbum na Alemanha, no Spelunken Studio.

No mês de agosto de 2008 a banda é convidada a tocar no maior evento Open Air de Santa Catarina, o River Rock e lança no evento um "álbum" comemorativo aos 15 anos de atividades. O material intitulado "Rest of old, new and rare for 15 years" reúne material inédito e antigo, com versões de estúdio, ensaio e ao vivo. Um registro histórico.

Ao final do ano a banda teve o seu primeiro desfalque em cinco anos, o lendário baixista Valda deixa o grupo onde esteve presente desde 1996. No seu lugar é convocado Richard (ex-Rythual, Before Eden e Nervus) que com um teste, umas conversas e cervejas integra a banda.

Mas como não poderia ser diferente, a Rhestus tem novos desfalques, a saída do único membro da formação original e comediante de plantão, Jailson (Jaca) em Janeiro de 2009. Um mês depois também Charles "Banha" sai da banda, todos motivados pela falta de tempo, distância e compromissos pessoais que não eram possíveis conciliar com os compromissos da banda.

Mas as coisas não poderiam parar por aí, e o único remanescente antigo, Fantasma, decide por não parar com a banda e junto com Richard, convocam Marcão (ex-Rythual, Manifest, Nervus e Jailor) para compor a bateria e seguidamente Tiago também é convocado a integrar a banda, assumindo a guitarra solo.

Assim no ano de 2009 a banda transferiu-se de sede para a cidade de Indaial, e iniciou os ensaios e planejamentos para o futuro mantendo sempre forte e unida a idéia de uma banda de amigos e foco no novo álbum.

Em Setembro a banda realiza em Indaial o primeiro evento próprio "I Metal War", onde também apresenta a nova formação. Em seguida é convidada para outros eventos  regionais e já planeja o lançamento do novo álbum para março de 2010, como também o show de lançamento, confecção de novo merchandising e a gravação do 1° vídeo-clip.

Em março de 2010 a banda lança o segundo álbum “Games of Joy... Games of War” onde o divulga com shows na região sul do país.

Para auxiliar na divulgação da banda e do novo álbum, a Rhestus contrata a empresa de assessoria Metal Media Management para iniciar um trabalho mais profissional de promoção do novo álbum e divulgação da banda.

Neste período o álbum percorreu o mundo, tendo sido resenhado por vários sites, revistas especializadas e recebendo ótimas críticas tanto por estes veículos como por amigos e fãs.

Em outubro de 2010 a banda tem um grato convite em abrir o show da banda norte-americana ícone da Bay Area, Death Angel. Momento marcante para a carreira da banda.

Na continuidade do processo de divulgação do álbum no segundo semestre de 2011 a banda lança o primeiro vídeo-clip oficial da faixa-título do novo álbum, tendo como roteirista o excelente, Lorenzo Bonicontro (The Gathering, Perpetual Dreams) e edição de Diego D. (Steel Warrior, Symmetria). O vídeo também tem ótima receptividade e garante nova conquista para a banda na área audiovisual.

Durante o ano de 2011 a banda realiza vários shows pela região e novamente tem uma grata surpresa, sendo convidada a abrir o show de uma das maiores bandas de thrash metal do mundo, o Overkill.  Show realizado em Curitiba/PR contou também com Korzus, outro expoente do metal brasileiro e Necropsya.  Grande show que rendeu ótimas resenhas por parte da banda. Na sequencia também dividiram o palco com outro nome forte no metal nacional o Torture Squad.

Em dezembro de 2011 a banda anuncia o desligamento do amigo e músico Tiago A. Sestrem, por questões de incompatibilidade da agenda do músico e da banda. Em seu posto é convocado Andrei Uller, amigo de longa data e grande músico que já tocou nas bandas Nervus e Rythual, brinda a banda com sua técnica como violonista profissional.

Junto com a entrada de Andrei, a banda lança também o caneco de Chopp oficial, sendo mais um item no merchandising oficial.

Em 2012 a banda deu continuidade à produção do primeiro DVD e de um novo EP, além de retomar o processo de composição para um novo álbum sem data de previsão.

Em dezembro de 2012, o guitarrista Andrei Uller foi um dos selecionados para cursar o “1º Máster en Interpretación de Guitarra Clasica” da Universidade de Alicante na Espanha.

Foram selecionados apenas 14 candidatos para o curso, que é destinado tanto a estudantes graduados como a profissionais que desejam aperfeiçoar seus conhecimentos de repertório instrumental.

Realizado de janeiro a julho de 2013, o curso tem em sua grade de professores alguns dos mais importantes violonistas da atualidade, como Manuel Barrueco, David Russell, Nigel North, Hopkinson Smith, Ignacio Rodes, Carles Trepat, Roberto Aussel, e José de Eusebio.

HEAVY METAL é lançado em 19 de janeiro 2013 no Iceberg Rock Festival, em Rio do Sul/SC, o EP, contem cinco músicas sendo duas inéditas "Noxious Agent" e ‘Wolves Disguised in Sheep’, uma regravação de ‘Insane War’ (do álbum ‘Embryo of the Endless Sands’) em português e duas ao vivo, do show realizado em 2010 no 12. River Rock Festival.
A formação que gravou o álbum foi Alex Leber (Guitarra e vocal), Andrei Uller (Guitarra solo e backing vocal), Marcos Diegel (Bateria) e Richard Schmidt (Baixo e backing vocal).

Neste período que Andrei está na Espanha, a Rhestus convoca para assumir as seis cordas um ex-integrante da banda, Charles da Silva, guitarrista solo que gravou o álbum “Games of Joy... Games of War”.

Em 09 de março de 2013, a banda tocará no Taki’o Rock Festival e fará um show especial de 20 anos de banda, contará com ex-integrantes em uma grande Jam e tocará um repertório cronológico da história da banda.

Em junho em conjunto com a banda Khrophus de Florianópolis/SC, foram realizados dois show em conjunto comemorando o aniversário de 20 anos das duas bandas no cenário brasileiro. Um show realizado em Blumenau na sede do Balaios Moto Clube, e o outro no Célula em Florianópolis.

Foi convocado para empunhar as baquetas da banda o ex-baterista e fundador da banda, Jailson Oliveira (Jaca) pois Marcão estava realizando tratamento de uma tendinite no pé, tocou em 4 eventos sendo o último no River Rock Festival, na sua 13. Edição abrindo para a renomada banda brasileira Sepultura. Neste show, também Andrei retornou a banda e Marcão fez participação em duas músicas.
A banda atualmente se prepara com novas composições para o próximo álbum que deverá ser lançado entre 2014 ou 2015.

Hospedado e desenvolvido por Rhestus