Resenha Embryo of the Endless Sands

Resenha - COLLECTORS ROOM

Por Alessandro Cubas
Colecionador
Collector´s Room

“O Heavy Metal em Santa Catarina”


http://collectorsroom.blogspot.com/2009_05_17_archive.html


"Uma das minhas bandas de thrash metal favoritas. O Resthus foi formado na cidade de Rio do Sul no ano de 1993, e após o lançamento de duas demo tapes foi lançado de forma independente este excelente Embryo of the Endless Sands.


O CD começa com “Inside a Torn Apart” e daí pra frente é um petardo atrás do outro. Seguindo adiante temos “Bullet in Point”; “Insane War”, que começa com um belo arpejo que antecede a pancadaria e é também uma das melhores músicas da banda; “Die Like a Dog”; “Tsavo: The Place of Slaughter” é a melhor faixa do álbum e é baseada no filme A Sombra e a Escuridão.


“Njord Hymn” é instrumental e acústica, e abre caminho para outra míssil, que é a faixa “Big Anesthesia”. Ainda temos “Cancer”, “Sacrificed by Mistake”, “Doomsday” e “Eternal Sorrow”, que fecha o play com chave de ouro. Este trabalho nos traz tudo que o estilo exige: riffs trabalhados, cozinha arrasadora, solos e vocais rasgados. As músicas são bastante influenciadas pelo thrash alemão, mas em alguns momentos também percebemos influência das bandas americanas do estilo.


A capa foi feita pelo artista alemão Michael Schindler, que também já trabalhou com o Motörhead e com o Steel Warrior. Na formação da época estavam Alex Leber (V/G), Célio Jr (G), Valda (B) e Jailson (D).Este CD é viciante e agradará em cheio os fãs de thrash metal."

Resenha - METAL VOX - 03/08/2004

 

Depois de aproximadamente uma década de existência, a RHESTUS nos apresenta seu “debut” álbum, intitulado “Embryo of the Endless Sands”, o qual certamente é o trabalho mais aguardado por uma série de fãs de Thrash Metal, principalmente de Santa Catarina. Afirmo isso tendo como padrão o público presente nos eventos em que a RHESTUS participa, principalmente nos evento Open Air, como o RIVER ROCK. Peso, agressividade, velocidade e criatividade. Em resumo, todos os ingredientes necessários para criar um Thrash Metal puro, lembrando muito os caminhos traçados pelos precursores dos anos 80, incluindo KREATOR, SLAYER e DESTRUCTION. O álbum é composto por treze músicas, sendo que da primeira até a quinta é uma seção de pancadaria (no bom sentido), todas muito empolgantes e ricas em variações. A sexta música, intitulada “Njord Hymn”, serve para o ouvinte dar uma pausa aos neurônios (pois se a pancada continuar, capaz do cérebro pegar fogo) e é uma introdução para “Big Anesthesia”, continuando o massacre até a última faixa. Na primeira audição, o que chama a atenção são as linhas de guitarra. Célio e Alex mostram-se bastante entrosados e criativos, com riffs rápidos e/ou pesados, bastante alternados. O vocal de Alex é bastante agressivo e rasgado, porém nítido, tornando possível o entendimento das letras. O baixo, tendo como responsável Valda, também não fica pra trás das guitarras. Além do timbre bem escolhido, ele criou uma linha marcante, com características distintas da maioria das bandas do estilo. Jailson, único membro da formação original da banda, parece descarregar todo a sua fúria na bateria, e assim como os demais membros, abusa da precisão, velocidade e criatividade. Uma outra característica que não pode deixar de ser citada é a parte gráfica. O alemão Michael Schindler captou a idéia do título e fez um trabalho invejável, particularmente não vejo uma capa assim faz um bom tempo. Considerando as produções nacionais independentes, não há o que reclamar. Todos os instrumentos estão nítidos e em bom volume, superando muitas bandas nacionais com selo e igualando-se a uma série de bandas do exterior. Difícil é escolher alguma música que se destaque. Arrisco-me a citar “Insane War”, “Tsavo: The Place of Slaughter” e “Cancer”. Resumidamente, uma banda atual que executa um Thrash Metal na linha dos anos 80, com guitarras “nervosas”, vocal agressivo (porém nítido), “cozinha” pra ninguém por defeito, capa de nível internacional e produção acima da média dos álbuns nacionais independentes. Precisa falar mais alguma coisa? www.rhestus.com.br


http://www.metalvox.com.br/reviewsalbumr.asp

Resenha - SKY HELL - 09/07/2004

Santa Catarina não precisa provar mais nada pra ninguém de que já é um celeiro que gera ótimas bandas todos os anos. E o mais interessante é que em todos os estilos Santa Catarina está muito bem representada. Dentro do thrash metal temos a Rhestus, uma banda batalhadora, que soltou seu debut ano passado de forma independente e deram o nome de Embryo of The Endless Sand. Praticamente esse disco é um flashback aos anos 80 e que mostra um thrash metal na veia germânica bem ao estilo do Kreator da fase Endless Pain e Pleasure to Kill, ou seja, thrash metal rápido, agressivo e sem firulas, totalmente direto. Logo de cara, a “tijolada” "Inside a Torn Apart” nos faz balançar nossos pescoços, mesmo que de forma involuntária. A coisa aqui neste disco é tão “na cara” que não se tem tempo pra parar um segundo sequer pra respirar. Sendo assim, imagine então um show desses malucos (no bom sentido) catarinenses? Deve ser uma usina de energia! Outras ótimas músicas são “Bullet in Point”, “Die Like a Dog”, “Tsavo: The Place of Slaughter”, “Cancer” (excelente e total anos 80), “Doomsday” e “Eternal Sorrow”. Como é típico do thrash metal oitentista, as músicas possuem uma longa introdução, sendo que eles souberam suplantar e inserir na sonoridade da Rhestus de forma coerente. O que chama a atenção são os vocais de Alex Leber (parecidíssimos com o de Mille Petrozza do Kreator dos primeiros discos) e o baixo de Valda. Embryo of The Endless Sands é um disco muito bom, sendo que alguma gravadora poderia assinar com os caras, afinal eles possuem garra de sobra pra mostrar seu som. Vale a pena adquirir este material.


http://www.skyhell.net/site/f.php?banda_id=516&pg=5&cat=l&d=5

Resenha - WAR GODS OF METAL - 02/07/2004

Por Maicon Leite.
Vocês nem sabem como eu fiquei feliz em receber este cd! Conheço a banda há anos e sempre apoiei, seja divulgando no Monsters of Rock ou na Roadie Crew. Na demo "Heroes of the Doomsday" os caras já esbanjavam talento e profissionalismo com um som matador! A espera por este cd valeu a pena, pois é um clássico do thrash metal brasileiro! Os caras pegaram o melhor do thrash, como o "Kill Em’All" do Metallica, algum álbum do Destruction e adicionaram algumas pitadas de Iron Maiden dos primeiros álbuns e disso tudo saiu um álbum que marcará para sempre os fãs de thrash metal brasileiros! Dá orgulho de escutar um disco como esse, sei que os caras passaram por várias dificuldades para conseguir lançar este cd, e está aí, com uma gravação acima da média e com um trabalho gráfico muito bom (a capa mata a pau).As quatro músicas da demo "Heroes..." estão presentes aqui, é claro, com uma roupagem nova, e ficaram mais poderosas ainda. Os brothers of metal que gravaram este disco foram: Alex Leber na guitarra e vocal, Célio Jr. na guitarra, meu grande brother Valda no baixo e na bateria Jailson. O cd começa com a música "Inside de Torn Apart" que tem um poder de fogo infernal. Esta música é praticamente perfeita, e tem até umas partes mais death metal e um solo de guitarra matador, ótima faixa de abertura! Ah, os riffs são animais! "Bullet in Point" é a Segunda faixa, esta música está muito mais pesada que na versão da demo, além de mais agressiva. O começo de "Insane War" é acústico mas logo o peso corre solto com riffs maravilhosos e com um trabalho de cozinha marcante. "Die Like a Dog" é um clássico! Putz, o Valda é um baita baixista, o começo desta música lembra bastante Iron Maiden, e "Valda Harris" faz um trabalho fudido! Bangeie até cair! Seu pescoço vai ficar dolorido! E ainda tem o solo tri rápido, que thrashaiada do caralho! E com uma intro extraída do filme "Sombra e Escuridão" começa "Tsavo – The Place of Slaughter", música que fala do filmes, aquele dos dois leões assassinos. Esta música é thrash no talo, com bastante agressividade. Para acalmar o ouvinte temos "Njord Hymn", instrumental acústica muito interessante. Agora temos outra música da demo, "Big Anesthesia", cadenciada e com muito peso. Dando seqüência as músicas da demo temos "Cancer’, um thrash rápido que no começo tem um riff que lembra o Metallica, agressividade total! "Sacrificied By Mistake" é bem variada e tem um solo maravilhoso. Estes guitarristas arrasam e souberam mostrar como se faz um metal de verdade! "Doomsday" abre com um som de sirenes e cai na velocidade total, grande música. E para terminar com chave de ouro "Eternal Sorrow", que representa tudo o que a banda faz, vocais agressivos, riffs e solos muito fodidos, cozinha precisa e com muito feeling, e grande influência do Metallica do "Kill Em’All"! Resumindo: este disco é perfeito para quem gosta do verdadeiro thrash metal, e vale lembrar que o vocalista demonstra a influência de Destruction naqueles vocais "gritados" do Schimier. Os caras estão aí para mostrar o verdadeiro metal dos anos 80, que nunca vai morrer! Ah, o guitarrista Célio Jr. saiu da banda. Bom, tá dada a dica! Rhestus thrash attack! (Maicon Leite)


http://www.wargodsofmetal.cjb.net/

Resenha - METALEIROS - 20/02/2004

Rainer Krukenberg, Berlim - Germany

Wow, ....what a fantastic Thrash and Power attack!! Full speed, shredding guitars and a screaming singer are the rules of this guys!! That is how good traditional Thrash has to sound!! The guys are from Timbo in the Province of Santa Catarina in the South. Their homepage is nice, but contains almost no informations about the band history! In the year 1996 they released their first demo "Had a world" and in 1999 the second "Heroes of the doomsday". The first recordings were more in the Death Metal direction, but later it became more traditional Thrash! In 2000 a song of them was released on the "Rock Soldier 4" compilation! This one is in great old DESTRUCTION style! The singer was called first Fantasma, and then Alexander Leber, but it is the same person! This guy looks totally like Zakk Wilde! With his giant blond hair he must make a big impression in Brazil! The first album, was released as independent production, and they found their own style, which contains also parts of Power Metal! This disc should be very welcome in the scene in Europe, and I wish they will get a distribution here, or a license deal!

Hospedado e desenvolvido por Rhestus